• Facebook Social Icon

© 2020 Portal do orquidófilo

administrado por MARCELO ZAGER

Visitas
Como fazer mudas de orquídea?
 
 
      Multiplicar as orquídeas da coleção é um desejo de todo colecionador. Seja para aumentar o numero de vasos, seja para ter plantas para presentear os amigos. 
     As orquídeas podem ser reproduzidas tanto por sementes como cortando pedaços que se desenvolverão como uma planta independentemente. 
Fazendo cortes nas Orquídeas
 
       Um corte sempre gerará uma nova planta que dará flores idendicas as da planta original. 
        A primeira coisa antes de fazer o corte é avaliar se esta no momento certo de cortar. O corte é sempre um momento estressante e por isso devemos faze-lo da maneira a impactar o mínimo possível. 
Para isso, avalie se a planta esta em sua época de crescimento. A maneira mais fácil de ver isso é verificar se a mesma esta brotando. Se a frente esta brotando, então teremos as melhores condições possíveis para que uma gema adormecida da traseira (veja area circulada na figura ao lado) também venha a brotar formando uma nova planta.  O corte deve ser feito por uma ferramenta muito afiada para evitar macerações no bulbo. Costumamos dizer que o ideal é que a muda nova tenha no mínimo tres bulbos.  Veja abaixo um vídeo: 
         Esse  procedimento se aplica as orquídeas com crescimento simpoidal.
        Muitos orquidófilos apreciam fazer o corte e não tirar a planta do vaso até que a parte traseira emite uma brotação garantindo a nova muda. Essa é uma decisão interessante, já que evite que as raízes sejam estragadas o que dificulta a captação de nutrientes e água para a formação da nova planta. 
Há ainda que os que preferem cortar apenas a metade do rizoma ou fazer um furo no meio com um prego. Esses procedimentos também costumam estimular a brotação da parte traseira gerando uma nova muda
Assim que a muda resultante da parte traseira estiver apontando a formção de novas raízes, é hora de retirar todo o conjunto do vaso e plantar cada uma delas em vasos separados. 
Orquídeas que emitem Keikis
 
       Keiki quer dizes "Bebê" no idioma hawaiano. 
   Então estamos falando de orquídeas que emitem pequenas mudas (bebês), os quais, ao se desenvolverem formarão uma nova orquídea que dará flores identicas as da planta mãe. 
É um método de propagação comum nas orquídeas dos gêneros Phalaenopsis, Epidendrum e Dendrobium. Normalmente um Keiki é formado quando a orquídea é mantida muito umida e com luminosidade abaixo da ideal. Explico, o que hoje é um Keiki era para ser uma flor, mas como havia muita água disponível e luminosidade mais baixa, a planta decidiu que ao invés de dar botões florais, iria das novas mudas. 
      Os Keikis, enquanto estão ligados à planta mãe, recebem àgua e nutrientes dela, e as suas raízes apenas fazem função secundária para o desenvolvimento. Quando as raízes estiverem com mais de 5 cm, ja podemos destacar o keiki e planta em um novo vaso. Quanto mais desenvolvido estiver um keiki, mais forte ele estará para seguir  sozinho.  Veja também tópico sobre "Plantio"
Como estimular a formação de novos Keikis
 
       A primeira dica ja dei acima. Se na época de formação dos novos brotos (que consequentemente gerarão uma nova floração) voce mantiver a planta em ambiente de boa umidade e menor luminosidade que ideal para a espécie, então terá keikis (mas não terá floração satisfatória). 
        Por outro lado, existem pastas com hormônios próprios para estimular as genas a "acordarem" gerando mudas. 
       No caso dos Phalaenopsis, após terminar a floração, a haste floral pode ser cortada em pedaços de cerca de 10cm e plantados (de Pé) em uma bandeja com uma mistura de perlita e pó de coco ou areia. Antes de plantar, no entando, passe canela em pé nas partes cortadas para selar.  Mantenha a mistura umida (não encharcada) e regue a cada 10 dias com vitamina B e Hormonio (o mais comum é o superthrive). Veja figura ao lado. 
 
       No caso dos Dendrobium e Epidendrum, voce pode separar um caule da planta e cortar de modo que cada pedaço tenha dois ou tres nós (ondem ficam as gemas), sele os cortes passando canela e pós e os deite em uma bandeja com substrato (perlita com fibra de coco ou areia). Mantenha umido e pulverize hormonio e vitamina B a cada 10 dias. 
       Assim que os Keikis estiverem ja com duas ou tres folhas e umas duas ou tres raízes, pode retirar e plantar em vaso definitivo ou mesmo fixar em uma árvore. 
Como semear orquídeas? 
 
       Infelizmente as sementes de orquídeas são muito pequenas e tem muito pouco material de reserva para nutri-las enquanto se transforma em uma planta. Isso faz com que a semente precise se associar a determinados tipos de fungos benéficos que irão fabricar os nutrientes que ela precisará para o desenvolvimento. Sem esses fungos, chamados de micorriza, a semente não irá nascer.  Isso ja dá uma idéia de que não seja tão simples semear orquídeas e até que a germinação será bastante diminuída pelos processos naturais. 
        Existem dois tipos de semeadura: o método simbiótico e o assimbiótico. O simbiótico é o meio natural, do qual podemos usar meios caseiros, mas que a germinação será em pequena quantidade. O segundo método é o assimbiótico, usado em laboratórios em ambientes totalmente asséptico e que exigem um grande conhecimento técnico para que se obtenha a semeadura em meio totalmente controlado. Esses segundo meio é o que é usado no cultivo comercial por ser muito mais efetivo. 
     Aqui tratarei apenas da semeadura simbiótica, que voce pode fazer em sua casa. Para mais informações do meio assimbiótico veja o Menu "segredos". 
Semeadura Caseira de Orquídeas Método Simbiótico
 
Vejamos esse método publicado na revista "O Mundo das Orquídeas nº 05"
Voce vai precisar  de algumas raízes de orquídea (2 ou 3), água de coco além das sementes.  Junto as raízes das orquideas temos os fungos micorriza que permitirão a germinação das sementes. 
As raízes devem ser maceradas junto com um pouco de água de coco, peneire tudo, e junte as sementes da orquídea (abra a capsula e retire as sementes) com o líquido resultante da meceração.
Procure um tronco de árvore (melhor que seja um pouco inclinado) e despeje a mistura devagar, espalhando sobre o tronco.  Uma capsula possui milhares de sementes, mas apenas umas poucas dezenas devem germinar. 
Uma forma de simplificar o processo é jogar as sementes perto das raízes de uma que ja esteja crescendo na árvore, já que ali ja existe o micorriza
Clonagem de Orquídeas - Meristema
 
        Ao contrário do que acontece com a clonagem de animais, a clonagem de plantas já é feita com sucesso há muitas décadas, sendo um processo largamente no cultivo comercial de orquídeas. 
    Nas plantas, estre processo de micropropagação é conhecido também como meristema.  Meristema é o tecido formado por células que tem a capacidade de se dividirem indefinidamente, algo comparável as celulas-tronco nos animas. Elas estão presentes em várias partes de um vegetal e, nas orquídeas, costuma-se retirar essas celulas das gemas e brotos e cultivá-las em meio de cultura com o auxílio de estimulanes de crescimento. 
          A grande vantagem desse método de propagação é a possibilidade de obter milhares de plantas identicas à planta mãe, o que é praticamente impossível com a propagação por sementes. 
      De fato, não se trata de um método facil de ser feito em casa, sendo a tarefa cabida à laboratórios especialistas em reprodução vegetal. 
      Veja abaixo um exemplo da sequencia dos estagios de desenvolvimento de um clone.