Bocashi - o super adubo!

 

       Aplicar matéria orgânica nas plantas é uma pratica conhecida a milênios. Também não demorou muito para que o homem percebesse que nem todo composto organico dava o mesmo resultado na produção, partindo então para o estudo e desenvolvimento de compostos que pudessem produzir efeitos superiores. 

      Neste contexto, nasce  no Japão o adubo organico de fermentação controlada chamado de BOCASHI (em japonês quer dizer "matéria orgânica fermentada").  Apesar de disponibilizar nutrientes para a Orquídea, o efeito mais importante do Bocashi é introduzir no vaso micro-organismos benéficos que fementam a matéria orgânica ali presente favorecendo o desenvolvimento de fungos, bactérias, actinomicetos, micorrizas e fixadores de nitrogênio que fazem parte do processo da nutrição vegetal equilibrada e manutenção das saúde das plantas. 

       Na prática, não existe apenas um tipo de bocashi, ja que a idéia é adaptar a fórmula de acordo com os ingredientes disponíveis na região, sendo o nome bocashi destinado a identificar o processo como esses ingredientes são preparados. 

       Para se fabricar o Bocashi é necessário, além da matéria organica, algum tipo de fermento biológico, o qual pode ser capturado em solos de mata ou pode se usar produtos comerciais usados para a obtenção de alimentos fermentados, ou ainda, produtos conhecidos como aceleradores de compostagem. 

      Esses micro-organismos são conhecidos pela sigla EM (Effective Microorganisms ou Microrganismos Eficazes) 

 

Tipos de Microrganismos Eficazes (EM)

 

       1) Leveduras - São usadas para a produção de cervejas, cachaças, vinho, fermento de pão, etc. São EM que necessitam de açúcares para sintetizarem vitaminas, hormonios, enzinas e outras substancias bioataivas promotoras do crescimento de raízes. Geram um ambiente que favorece a reprodução de bactérias láticas e actinomicetos

 

       2) Actinomicetos (ex: Actinomyces sp., Streptomyces sp.): aproveitam os aminoácidos produzidos pelas bactérias fotossintetizadoras e produzem antibióticos naturais que controlam fungos e bactérias patogênicos. Produzem substâncias úteis a outros microrganismos benéficos, como as bactérias fixadoras de nitrogênio de vida livre e as micorrizas

 

       3) Bactérias láticas (ex: Lactobacillus sp., Pediococcus sp): usadas na produção de iogurtes e vinagre. No solo, transformam os açúcares em ácidos orgânicos que controlam alguns microrganismos nocivos, como Fusarium e outros fungos que causam apodrecimento das raízes e plantas. Pela fermentação da matéria orgânica, produzem diversas substâncias nutrientes para as orquídeas. Também conseguem solubilizar a matéria orgânica de difícil decomposição, como a lignina e a celulose, e eliminam vários efeitos nocivos da matéria orgânica não decomposta. 

 

       4) Bactérias fotossintetizadoras ou fototróficas (ex: Rhodopseudomonas palustres): despoluidoras do ambiente. Utilizam energia solar e também se alimentam de substâncias excretadas pelas raízes, fazendo a síntese de vitaminas, nutrientes, aminoácidos, ácidos nucleicos, substâncias bioativas e açúcares que favorecem o crescimento das plantas e aumentam as populações microbianas benéficas do substrato, inclusive bactérias fixadoras de nitrogênio de vida livre, actinomicetos e micorrizas.

 

1 ) Como captuar Microrganismos Eficazes (EM)?

 

      A captura deve ser feita em uma mata saudável (que não tenha passado por queimada nos ultimos anos). 

      Você vai precisar de: 

-700 g de arroz cozido sem sal e sem óleo.

- Bandeja de plástico ou de madeira.

 

Coloque o arroz na bandeja e coloque-a em contado com o solo (retire folhas e gravetos). Os gravetos retirados podem ser colocados sobre a bandeja para proteger os micro-organismos. Após 10 a 15 dias o arroz estará mofado, com bolores de diversas cores. Recolha as partes mofadas de coloração rosada, azulada, amarelada e alaranjada para fazer o EM. Descarte as partes de coloração cinza, marrom e preta. 

 

Como ativar os EM capturados?

 

       Você vai colocar os EM capturados em um balde com 10 litros de água pura com 1 litro de melaço de cana ou 1 kg de açúcar mascavo. Coloque a mistura em garrafas pet e tampe bem. A cada dois dias será necessário abrir a garrafa para sair o gás. Quando não sair mais gás o EM ativado estará pronto.  O EM pode ser guardado por até um ano. 

 

 

2) Fbricação do Bocashi com KEFIR. 

 

       Kefir é uma cultura mista de microrganismos usada para produção de bebida láctea tradicional dos povos do Cáucaso. O Kefir e seus constituintes possuem atividade antimicrobiana, antitumoral, anticarcinogênica, imunomoduladora e melhoradora da digestão, entre outras. Para uso para fermentação do Bokashi, utiliza-se uma solução de Kefir feita a partir de água e açúcar mascavo ou melaço.

 

Como ativar os Kefir? 

 

       Multiplique o Kefir até conseguir 3 colheres de grãos de Kefir para cada litro de água, adicionando mais 3 colheres de açúcar mascavo (por litro). Coloque em recipientes de boca larga e tampe com toalha para evitar moscas e formigas, deixando fermentar por uma semana. (coe a solução para resgatar os grãos de kefir para usar futuramente). Um litro de solução de Kefir da para prepar 50Kg de Bokashi. 

 

 

3) Fabricando o Bokashi

 

       Ingredientes: 

 

- 50% a 60% de farelos de cereais ( de arroz; de trigo; de cevada etc.) 

- 35 a 40% de tortas de oleginosas ( de mamona; de soja; de girassol; de algodão; de dendê etc.)

- Até  15% de matéria vegetal (Palhas e cascas trituradas; resíduo de banana, aipim , fubá e outras quirelas de grãos triturados)

- Até 3% de materias de origem animal  (Farinha de carne e osso; farinha de peixe)

- Até 2% de minerais (Calcário; fosfato natural; pó de pedra)

 

      Como Fazer: 

 

1 - Misturar tudo

2 - umidecer com agua até o ponto de se apertar a mistura e formar um torrão. 

3 - Deixar fermentar: a fermentação pode ser feita de duas formas: 

 

3.1 - Fermentação aeróbica: 

Amontoar a mistura em canteiros de no maximo 30cm de altura, cobrindo com os proprios sacos do farelo. Revirar a mistura toda vez que a temperatura passar de 50 graus. A partir do quarto dia, baixar a altura do canteiro para 10 cm e revirar a cada dia para que o material fique seco, finalizando com 5 cm de altura no sétimo dia e estando o material bem seco. Em 7 dias o adubo estará pronto. 

 

3.2 Fermentação anaeróbica. 

Neste caso a mistura é colocada dentro de tonéis para ficar sem contato com o ar. Fica pronta em 21 dias (em tempo quente, 15 dias)

 

 

Fonte: Manual Tecnico: Bocashi, adubo organico fermentado, 2013. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Facebook Social Icon

© 2020 Portal do orquidófilo

administrado por MARCELO ZAGER

Visitas