• Facebook Social Icon

© 2020 Portal do orquidófilo

administrado por MARCELO ZAGER

Visitas

Água: o que importa no cultivo de orquídeas?

       Talvez um dos maiores mitos que corre de boca em boca entre os orquidófilos seja de que o execesso de irrigação mata uma orquídea. Quem nunca ouviu falar a respeito? 

        Na verdade não é o excesso de água que que mata uma orquídea, mas a falta de ar ao redor das suas raízes quando essas recebem água em excesso.  Uma das necessidades das raízes de orquideas é absorver oxigênio e quanto o meio é inundado, o pouco ar ao redor das raízes é deslocado, fazendo a raiz morrer sufocada. A partir dessa morte, abre-se o espaço para que toda sorte de patogenos oportunistas invadam a planta se encarregando de finalizar a morte da orquídea.

        Também, muitas são as perguntas no meio orquidófilo a respeito das melhor água para se usasr na irrigação de nossas orquídeas e muitas também são as respostas sem fundamento que podemos encontrar!  

Isso porque a água possui características quantificáveis, que precisam ser levadas em consideração de acordo com as características de seu substrato e fertilização para que possam formar uma combinação ideal para o cultivo.  São características a serem observadas: pH, alcalinidade, dureza e condutividade elétrica. 

         Existe uma grande confusão no entendimento  entre pH e alcalinidade. Para começar é necessário dizer que alcalinidade é muito diferente de solução alcalina. A definição de pH tem relação com o balanço de ions H+ e OH- em uma solução e ja foi melhor detalhada em um capítulo á parte (para rever, clique aqui!)

         A alcalinidade é uma medida que diz respeito à quantidade de ácido necessário para baixar o pH de uma determinada solução, também chamada de capacidade de tamponamento. A alcalinidade é usualmente medida com um kit teste em que se adiciona ácido diluído até que uma alteração de cor ocorra a um pH específico.  Alcalinidade não é relacionada á um íon específico, mas sim à concentração de vários íons que afetam a capacidade de tamponamento. Esses íons incluem bicarbonatos como cálcio, magnésio e sódio e, em menor grau, carbonatos como cálcio ou sódio. Vários outros íons incluindo hidróxidos, fosfatos, amônio, silicatos, sulfuretos, boratos e arseniato também podem contribuir para a alcalinidade, mas a sua concentração é geralmente tão baixa que podem ser ignorados. A unidade de medida que pode ser usada para medir a alcalinidade pode ser partes por milhão (ppm), mg/litro ou miliequivalentes (meq.)

          Efeito da alcalinidade sobre o substrato

         A alcalinidade tem muito mais efeito sobre o substrato que o pH. O uso de água com alta alcalinidade na irrigação do substrato aumentará o pH para valores acima daqueles aceitáveis para saude e crescimento das plantas. 

          Para ser ter uma ideía do poder da alcalinidade da água em aumentar a pH em um substrato, se for adicionada 50ppm em alcalinidade (o que é muito pouco) terá o mesmo efeito de usar água com pH 11 (o que é um pH extremamente alto).  Usar água com pH 8 tem o mesmo efeito sobre o substrato que usar água com uma concentração de alcalinidade de 0,05ppm. 

         O pH da água ainda é importante para o manejo, mas tem pouco impacto no substrato. O pH da água afeta a solubilidade dos fertilizantes e a eficácia de inseticidas e fungicidas.

             Dureza da água...

        É a propriedade relacionada com a concentração de íons de determinados minerais dissolvidos, principalmente sais de s de Cálcio (Ca2+) e Magnésio (Mg2+).  A dureza da água é medida geralmente com base na quantidade de Partes por Milhão (ppm) Carbonato de Cálcio (CaCO3), também representada como mg/l de CaCO3. Quanto maior a quantidade de "ppm", mais "dura" será considerada a água.  Para diferenciar, enquanto a alcalinidade é a medidad de todas as bases presentes na água, a dureza é realmente a quantidade de sais de cálcio e magnésio insolúveis na água. 

         Condutividade elétrica...

       Parte do princípio de que quanto mais sal tiver dissolvido na água, mais eletrecidade essa água tem capacidade de conduzir. Então, na prática, ela é uma medidada quantidade de sal que temos na água. É utilizado para determinar o risco potencial de acúmulo de sal quando a água é aplicada a um substrato. Com soluções de fertilizantes, a condutividade elétrica pode ser diretamente correlacionada com a concentração de nutrientes individuais (tipicamente, nitrogênio) de uma variedade de sais de fertilizantes, ou com a concentração total de nutrientes fornecida por um fertilizante solúvel em água.

        A condutividade életrica tem relação com a concentração de nutrientes disponibilizados para as plantas. Em geral, a água de irrigação não é uma fonte significativa de macronutrientes primários de nitrogênio (N), fósforo (P) ou potássio (K). No entanto, a água de irrigação pode conter altos níveis de nutrientes cálcio (Ca), magnésio (Mg) e enxofre (S). E, assim como a alcalinidade, a concentração de nutrientes contidos na água de irrigação pode variar dramaticamente entre locais.

        A análise laboratorial da água é o ponto de partida!

       Realizar a análise laboratorial da água deve ser o ponto de partida para saber como o seu programa de fertilização irá funcionar.  Uma das poucas fontes de confiabilidade, quer dizer, que não precisa de correção, é a água das chuvas (isso se voce não morar em uma região de muita poluição atmoférica).               Deve-se considerar também que as características de sua água facilmente mudam com o tempo, exigindo que essas análise seja feita pelo menos uma vez por ano.