• Facebook Social Icon

© 2020 Portal do orquidófilo

administrado por MARCELO ZAGER

Visitas
Cultivo de orquideas em britas: simples e eficaz!
 
       Um dos pontos mais frágeis no cultivo de orquídeas é o substrato. No passado reinou o cultivo em fibras de Xaxim, o que não era a perfeição do cultivo, mas com a sua proibição, deixou muitos cultivadores sem opção. 
         Após a proibição, muitas foram as tentativas de encontrar um substituto (muitos dos quais estão apresentados no item "Substratos" deste site).  A escolha de uma substrato não é nem de longe uma tarefa fácil. Depende de tantas condições que é muito fácil voce ouvir que um tipo de substrato funciona muito bem com alguém, mas que não funciona com o vizinho! 
      Dentro de uma orquidário existem muitas variações de clima, o que chamamos de Microclimas, são sutis variações que muitas vezes não percebemos, mas que para as plantas fazem uma enorme diferença, influenciando totalmente no sucesso do substrato. 
             Desta forma,  nossa idéia não é apresentar um substrato infalível, mas apresentar pontos a favor e contra para que voce possa avaliar a opção em usá-lo em suas plantas. 
       
Características:
 
- SUBSTRATO INERTE -  essa característica pode ser considerada tanto como uma vantagem como como uma desvantagem. Primeiramente, o grande problema da maioria dos substratos é que ele vai alterando as suas características na medida que vai envelhecendo e, um substrato que, enquanto novo, parece ideal, vai impossibilitar o desenvolvimento da planta em alguns meses ou anos.  Como uso de pedra brita, ela não se alterará com o tempo e tende a ter durabilidade infinita.  Como não libera substancias húmicas , que em grande quantidade intoxicam as raízes das orquídeas, tende a privilegiar um enraizamento maior e mais duradouro, evitando a tradicional morte das raízes mais velhas, e quanto mais raízes, mais sua orquídeas poderá absrover água e nutrientes, favorecendo o crescimento.  Além disso, com o envelhecimento os substratos organicos costumam se puverizar, diminuindo a aeração do substrato, o que também causará morte das raízes. Pela lado da desvantagem, o uso de pedras não libera substancias nutritivas, as quais devem ser regularmente oferecidas por meio da irrigação ou pulverização.
A inércia do substrato também dificulta o desenvolvimento de fungos e bactérios de solo, estas que são um grande problema quando se trata de doenças de orquideas.  
        CUIDADO: nossa experiencia mostrou que o uso de britas escuras, obtidas de dolomita, não mostraram bons resultados, talvez devido a possibilidade de aumentar o pH do substrato (leia o capítulo a respeito)
          Veja abaixo a imagem do enraizamento (raízes vivas) obtido com o uso de pedras britas com vaso plastico comum. Repare que mal é possível ver as pedras britas usadas como substrato. 

- SUBSTRATO PERENE -  isso significa que ele é praticamente para sempre, evitando que se tenha que fazer o transplante de sua orquídea devido à decomposição do substrato. Isso não quer dizer que toda orquídea plantada em brita nunca precise ser replantada. Em alguns anos voce notará que mesmo cultivando em britas, existem um certo acúmulo de material orgânico no fundo do vaso, retido justamente pela grande quantidade de raízes que crescem, o que prejudicará a ventilação das raízes, favorecendo sua morte. Observando as fotos acima é fácil perceber o quanto se torna denso o enraizamento que acaba por prejudicar a propria aeração do vaso.

- RETENÇÃO DE UMIDADE - Uma das justificativas que mais ouço contra o cultivo em britas é  de que elas retem pouca umidade.  Que cotestar afirmando que isso é bastante relativo. 

Em primeiro lugar, as britas esfriam mais que outros substratos orgânicos, fazendo com que a umidade do ar se condense nelas durante a noite.  Segundo, na medida que as raízes crescem, elas passam a ser uma parte importante na composição do substrato, favorecendo a manutenção da umidade do substrato.  Terceiro, como é um substrato que permite um desenvolvimente muito maior de raízes, quando o vaso é irrigado, a absorção de água é muito mais eficiente e a orquídea pode armazenar muito mais água nos pseudobulbos. 

         É sempre bom lembrar que é muito mais fácil uma orquidea morrer por excesso que por falta de água. 

        Assim, o cuidado no uso de britas deve ser concentrado em maior numero de regas apenas no peíodo em que o enraizamento não estiver pleno e também em ambientes com baixa umidade relativa do ar.